terça-feira, 15 de março de 2016

[RESENHA CRÍTICA] 1984 (título original Nineteen Eighty-four).


Filme: 1984 (título original Nineteen Eighty-four). Adaptação do livro de George Orweel.
Duração: 113 min. Cor.
Direção: Michael Radford.
Gênero: ficção científica / drama.
Livro 1984 por George Orwell lançado em 1949.

Depois da guerra atômica, o mundo foi dividido em três estados e Londres é a capital da Oceania, dominada por um partido que tem total controle sobre todos os cidadãos. Winston Smith é um humilde funcionário do partido e comete o atrevimento de se apaixonar por Julia, numa sociedade totalitária onde as emoções são consideradas ilegais. Eles tentam escapar dos olhos e dos ouvidos do Grande Irmão, sabendo das dificuldades que teriam que enfrentar.
Esta obra nos traz a realidade do nazismo e do racismo pois ela foi escrita no final da segunda guerra mundial. A obra é uma ficção cientifica do tipo Distopia política, ela nos mostra como seria o futuro dominado por regimes totalitários.
             A história se passa na Ex-Inglaterra, agora pertencente ao chamado bloco da Oceania que é inimigo e está em guerra com a Eurásia. O filme mostra como o totalitarismo diminui a ideia de individualismo por meio do uso de uniformes, de uma reforma linguística, da suspensão da sexualidade, a meta de acabar com o prazer, da diminuição da família e a reprodução artificial. Esses fatos são característicos desse regime que querem uma única massa disposta a fazer de tudo por sua nação.
            As pessoas nessa obra cultuam o seu líder, o chamado Grande Irmão que sempre está observando as pessoas por meio de monitores. Elas devem respeito a sua pátria, absorver as informações passadas diariamente pelo partido e se manterem saudáveis e praticar atividades físicas. Os protagonistas não querem essa pureza do partido, eles querem ser livres, depravados.

           
          O filme é claustrofóbico, escuro e úmido, triste e nublado com as fotografias em tons pasteis, tudo arquitetado para gerar uma sensação de depressão e falta de esperança.



"Big Brother is watching you".

Nenhum comentário:

Postar um comentário