quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

[RESENHA] O Menino do Pijama Listrado by John Boyne



Título: O Menino do Pijama Listrado
Autor: John Boyne
Ano: 2014
Paginas: 186p.
Editora: Cia. Das Letras


“Um livro tão simples e tão bem escrito que beira a perfeição” – The Irish Independent

      As palavras desse jornal irlandês definem da melhor maneira possível a joia rara que é este livro, classificado por muitos como absolutamente fantástico.
      O protagonista é um menininho alemão de nove anos chamado Bruno, que é obrigado a sair de sua grande casa em Berlim e deixar seus amigos para trás, com o destino ligado a uma nova casa situada em um local ermo, chato que lhe dá arrepios, principalmente pelo fato de ter uma cerca em seu quintal que divide a sua casa de um lugar onde todas as pessoas usam pijamas listrados.    


     Bruno não tem ideia do que está acontecendo, ele não tem noção que se encontra em meio a uma grande guerra mundial, em que seu pai é um dos braços direitos de Hitler e que o pessoal triste de pijama listrado, na verdade são judeus e poloneses em um campo de concentração nazista (essa ingenuidade até que é bonitinha e compreensível de início, porem depois você meio que acho o menino meio burro). Essa nova casa não é nada agradável, tanto pelo fato de não ser a sua grande casa em Berlim cheia de passagens e aventuras a serem descobertas, quanto pelo fato de ela ser o foco de um grande número de visitas de homens vestidos com uniformes e uma braçadeira engraçada.
      O livro traz capítulos curtos tornando o ritmo de leitura dinâmico e altamente produtivo. A escrita é bem profissional porem é altamente infanto-juvenil e isso é algo bom mas também pode ser um incomodo, dependendo de quem vai ler. Os capítulos são desenvolvidos tendo como ponto de vista o Bruno, então temos aa conclusões e os pensamentos deles e isso se torna algo curioso, pois conforme os fatos vão ocorrendo você vai identificando de maneira adulta e correta o que está realmente acontecendo, o capitulo -Como a mãe Levou o credito por algo que não fez- é um belo exemplo desse fato.
      Bruno conhece em suas explorações pela área aberta ao redor da casa, em um local afastado do portão da cerca um ponto, que se transforma em uma mancha, que se transforma em um vulto, que se transforma em um menino, um menino de pijama listrado, magro e que por magnifica obra do destino, ou que seja apenas um fato curioso que o tio Boyne resolveu colocar para deixar os leitores curiosos, o pequeno Shmuel nasceu no mesmo dia que o pequeno Bruno. A relação que nasce e cresce nesses personagens é a amizade que surge até mesmo nos momentos mais difíceis que um homem pode se encontrar, eles representam fielmente um elo de GUERRA-  AMIZADE – INOCÊNCIA – MAR DE LAGRIMAS. 

      Este foi o primeiro livro que eu li do John Boyne e a minha conclusão no final de tudo foi: vou ler mas títulos dele, vou me precaver comprando antidepressivos e caixas de lenços antes de começar a leitura, vou colocar um equipamento de segurança e um capacete para quando ele resolver sambar na minha cara eu não me machucar tanto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário